Resumo das comunicações

O acesso à informação científica e as tecnologias emergentes em meio académico: serviços e conteúdos relevantes das bibliotecas para a criação de valor

Diana Silva (Universidade de Aveiro)

A descoberta de informação científica há muito que deixou de ser um processo linear já que nos últimos anos, a diversificação de meios e formatos de acesso à informação via Web veio alterar as práticas de acesso e uso da mesma no ambiente académico. A isto associam-se os atuais processos ligados à aprendizagem e investigação, caracterizados por meios mais participativos na construção do conhecimento centrados essencialmente em competências. A compreensão crítica dos processos inerentes à comunicação da ciência e aos meios de publicação formais e informais afigura-se como uma das competências fundamentais para a aprendizagem no percurso académico e ao longo da vida. Torna-se visível, neste contexto, o papel inquestionável das bibliotecas de ensino superior que terão de explorar estes sistemas e ferramentas de uma forma eficaz para conseguirem criar serviços de valor acrescentado aos processos de ensino-aprendizagem e da investigação. É fundamental tornar acessíveis a biblioteca e os seus recursos onde e quando são necessários, através de ferramentas e serviços adequados. Nesta comunicação, temos como propósito explorar a diversificação de meios e formatos de acesso à informação científica via Web e desafios decorrentes, com base na experiência da Área de Recursos Eletrónicos e Apoio ao Utilizador dos Serviços de Biblioteca, Informação Documental e Museologia da UA. Destacamos neste sentido algumas das vertentes de atuação das bibliotecas da UA ao nível do apoio ao utilizador, na perspetiva da aprendizagem e investigação e que passam pela aposta em conteúdos relevantes e pela renovação de serviços com recurso às tecnologias emergentes e da Web 2.0.

Palavras-chave: Informação científica, Bibliotecas de ensino superior, Literacia de informação.



Sistemas de informação para mapeamento/indicadores da produção científica: rankings da produção científica

Tiago Fernandes (Universidade do Porto)

Nas últimas décadas, os indicadores de produção científica têm vindo a ganhar muita importância como instrumentos para análise da actividade científica em Portugal. A construção de indicadores quantitativos tem sido incentivada por órgãos internacionais e nacionais de fomento à pesquisa como meio para se obter uma compreensão mais apurada da orientação e da dinâmica da ciência, de forma a subsidiar o planeamento de políticas científicas e avaliar os seus resultados. Os indicadores de produção científica têm contribuído de forma definitiva para a análise do desempenho e melhoria da eficiência dos sistemas nacionais de ciência, tecnologia e inovação.

Palavras-chave:Produção científica, Indicadores, Universidades, Investigação, Bibliometria, Citações, Fatores impacto.



Caçadores e recolectores na sociedade da informação

Reginaldo Rodrigues de Almeida (Universidade Autónoma de Lisboa & Programa Falar Global)

A informação continua na moda e não perde peso. Somos dominados tecnologicamente e muito mais esclarecidos. Seremos? Vivemos Cisnes Negros diariamente sem o sabermos, entramos em jogos desconhecendo se caímos na casa da sorte ou na casa da morte. A propalada Sociedade da Informação é um mito e as vivências pessoais, profissionais, familiares, entre outras, passam por muitas realidades onde é essencial não perder o legado do mundo real, sabendo que as raízes da invenção do futuro estão sempre no passado, por mais silenciosas que sejam. Os mil milhões de utilizadores do Facebook registados em Outubro de 2012 diminuem o tamanho do planeta ou fazem-nos recuar a 1984 e lembrar George Orwell?

Palavras-chave: Sociedade da Informação, Tecnologias, Vivências Profissionais.



Los portales Open Data como herramienta para el fomento de la transparencia y la innovación

Yolanda Martin Gonzalez (Universidade de Salamanca)

El presente trabajo se enmarca en el ámbito del gobierno abierto y de las políticas de datos abiertos (Open Data) y persigue como objetivo principal el mostrar cómo los portales Open Data constituyen una herramienta fundamental para el fomento de la transparencia informativa y para la innovación. Para ello, se exponen previamente los conceptos de open government, open data y reutilización de la información del sector público que conforman el marco teórico-político de estas iniciativas. Posteriormente se seleccionan los principales portales de datos abiertos puestos en marcha por los gobiernos nacionales tanto en Europa como en Estados Unidos y otros países. De cada uno de los portales elegidos se examinan dos elementos en concreto: los catálogos que proporcionan el acceso a los datos elaborados y/o custodiados por las administraciones públicas y la sección referida a las aplicaciones creadas gracias a la reutilización de la información proporcionada por el sector público y que añaden un valor económico o social a los datos originarios.

Palavras-chave: Open Data, Reutilización de la información, Administración Pública, Transparencia, Innovación.



A Informação de Patentes: estímulo à criatividade e fonte de inovação

Sérgio Maravilhas (CETAC.MEDIA - Universidade do Porto e Universidade de Aveiro)

A utilização da informação de patentes, contendo os resultados das atividades de investigação e desenvolvimento com aplicação industrial, pode contribuir para o aumento da criatividade e suporte na resolução de problemas de investigação, potenciando a inovação através de novos produtos e processos daí decorrentes. É possível utilizar a informação científico-técnica contida em bases de dados de patentes de acesso público gratuito, via Internet, como fonte de ideias permitindo desenvolver produtos e processos com base nessa informação. A consulta da informação de patentes ajuda a evitar o desperdício de recursos materiais e financeiros, pois evita a reinvenção do que já existe e permite a realização de soluções sustentáveis, quer pelo aproveitamento de invenções não exploradas, como pela formulação de novos produtos com base em investigação e desenvolvimento já realizada, que pode ser adaptada a novas necessidades globais, gerando emprego, melhoria das condições sociais e económicas, protegendo o ambiente e seus recursos. Desta forma, a informação de patentes, repositório de Ciência e Tecnologia, revela-se como uma fonte de estímulo à criatividade potenciadora de inovações que permitam responder aos desafios do presente e perspetivar um futuro mais rico para toda a humanidade através do crescimento económico e melhoria de vida da população.

Palavras-chave: Informação de patentes, Inovação, Criatividade, Ciência, Tecnologia.



Arquivos Digitais na 3ª geração da Web: uma ideia com mais de 20 anos

José Carlos Ramalho (Universidade Minho & Keep Solutions, Lda.)

Hoje em dia a Web sobrepôs-se a todos os outros meios de comunicação tornando-se o meio de comunicação principal para quem produz informação e para quem a consome. O seu crescimento é exponencial, pode-se dizer mesmo, assustador. Com este ritmo de crescimento e se continuarmos a produzir e a consumir informação da mesma forma, o que hoje tomamos como certo poderá deixar de sê-lo a curto prazo. Os arquivos digitais constituem um subdomínio da Web e estão neste ritmo de crescimento acelerado. A informação disponibilizada seja ela na forma de descrições, transcrições ou digitalizações cresce diariamente. A Web veio eliminar as barreiras geográficas mas se nada for feito no entretanto, encontrar o item que procuramos pode-se tornar uma tarefa difícil. Nesta comunicação, iremos apresentar a fotografia atual da Web, as tecnologias que nos poderão ajudar a resolver este problema e o seu enquadramento e aplicabilidade no contexto dos arquivos. Neste contexto, em particular iremos discutir ideias que datam de 1990, pouco compreendidas na altura mas muito necessárias hoje e daremos uma panorâmica do que poderão vir a ser os arquivos digitais do futuro próximo.

Palavras-chave: Arquivos Digitais, Web Semântica, Descrição Arquivística, Ontologias, HiTeX.



Cloud Computing: os novos desafios organizacionais

Paulo Calçada (EuroCloud Portugal)

O Cloud Computing é um modelo de utilização e disponibilização de tecnologias de informação, que visa dar resposta aos principais desafios das tecnologias de informação: elevada disponibilidade, tolerância a falhas, segurança, capacidade de acompanhar as necessidades organizacionais - elasticidade. Este é um objetivo que já tinha sido tentado várias vezes através de outros modelos e paradigmas. No entanto, por múltiplas razões, como por exemplo, a falta de maturidade tecnológica, ou ainda, modelos de negócio muito complexos, nenhum desses modelos teve capacidade de se implantar no mercado. O Cloud Computing surge numa altura em que a maioria dos desafios já se encontra ultrapassada, e dando seguimento à evolução natural das tecnologias – do complexo para o simples - o Cloud Computing introduz hoje as condições para que as tecnologias de informação sejam de facto um motor de inovação dentro das organizações, devendo para isso permitir que as equipas de TI se concentrem nos processos e necessidades da organização e não nas tecnologias. No setor público, o modelo de Cloud Computing permitirá, por exemplo, que diferentes ministérios e organismos públicos beneficiem de investimento comuns (economia de escala) e que rentabilizem investimentos próprios, criando plataformas de disaster recovery, portais de self-service, plataformas comuns de monitorização, ou mesmo, definindo procedimentos e metodologias de compras de serviços de Cloud Computing a fornecedores públicos.

Palavras-chave: Cloud Computing, Inovação, Empreendedorismo.